literatura/mulheres inspiradoras

Ressaca do Dia da Mulher (ou porque devemos todos ser feministas)

"Sejamos todos Feministas", da escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie

“Sejamos todos Feministas”, da escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie

Eu estava de plantão no Dia da Mulher e parte do trabalho incluía acompanhar o que as celebridades estavam postando em suas redes sociais –incluindo as “homenagens” a esta data. Choveram imagens de rosas, da Mulher Maravilha e mensagens exaltando o quanto as mulheres são guerreiras, dão conta de tudo etc. etc.

Isso me deixou muito deprimida. O Dia da Mulher não é simplesmente uma data comemorativa como o Dia das Mães ou dos Namorados. É um dia para lembrar e refletir sobre a luta pela igualdade de gêneros –a data é o 8 de março porque neste dia, em 1857, mais de cem mulheres morreram em um incêndio provocado com o objetivo de reprimir uma manifestação contra as más condições de trabalho em uma fábrica em Nova York.

É um dia para lembrar o quanto ainda estamos longe desta igualdade, para lembrar que mulheres ainda sofrem assédio e violência simplesmente por serem mulheres, têm salários menores que os homens e são encaradas como as principais responsáveis pela casa e a família, apesar de trabalharem fora de casa tanto quanto seus parceiros.

Apenas na semana que antecedeu o Dia da Mulher, tivemos Alexandre Frota contando na TV que estuprou uma mãe de santo –para depois dizer que era piada (???); uma “BBB” sendo responsabilizada por não usar camisinha enquanto o parceiro fazia que não era com ele; uma camiseta feminina infantil da marca de Luciano Huck com a frase “Vem ni mim que eu tô facim”uma campanha com a Sabrina Sato associando vazamento de menstruação a vazamento de fotos íntimas (e insinuando que para evitar o último, bastava não fazer fotos íntimas –ou seja, a culpa é da vítima); e a presidente do país sendo xingada de “vaca”, “puta” e outros “adjetivos” relacionados a sua condição de mulher, não a sua (in)capacidade como gestora.

Sou uma pessoa um tanto “inflamada”, e, por mais que eu achasse muito importante escrever algo sobre o Dia da Mulher, naquelas condições teria saído apenas uma cagação de regras sobre como as pessoas devem e não devem agir –coisa que não defendo, pois ninguém tem o direito de determinar como deve ser o comportamento dos outros (aliás, feminismo tem justamente muito a ver com isso).

Mesmo assim, sinto que é minha obrigação fazer algo contra o desconhecimento que ainda envolve a palavra “feminismo”, e é por isso que quero recomendar muito um livrinho tão pequeno quanto importante: “Sejamos Todos Feministas”, da escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie. É super curtinho, fácil de ler e ainda por cima, dá pra baixar de graça! Olha lá:

Saraiva: http://bit.ly/1rvFnJv
iBooks: http://bit.ly/1wQVoLM
Kobo: http://bit.ly/1tboGRy
Amazon: http://bit.ly/1opXxc1

Pra quem não sabe, a Chimamanda fez uma apresentação nos TEDx Talks que virou hit no YouTube, com direito a ter um trecho citado na música “Flawless”, da Beyoncé, antes de ser transformado nesse livrinho que eu recomendo pra todo mundo que quer entender, de forma bem simples, porque todxs nós precisamos do feminismo.

Pra entender como esse livro é bacana, deixo trechinhos bem curtos, mas que tornam simples entender a importância do feminismo:

A cultura não faz as pessoas. As pessoas fazem a cultura. Se uma humanidade inteira de mulheres não faz parte da nossa cultura, então temos que mudar nossa cultura.

Feminista: uma pessoa que acredita na igualdade social, política e econômica entre os sexos.

Minha bisavó, pelas histórias que ouvi, era feminista. Ela fugiu da casa do sujeito com quem não queria se casar e se casou com o homem que escolheu. Ela resistiu, protestou, falou alto quando se viu privada e espaço e acesso por ser do sexo feminino. Ela não conhecia a palavra “feminista”. Mas nem por isso ela não era uma. Mais mulheres deveriam reivindicar essa palavra. O melhor exemplo de feminista que conheço é o meu irmão Kene, que também é um jovem legal, bonito e muito másculo. A meu ver, feminista é o homem ou a mulher que diz: “Sim, existe um problema de gênero ainda hoje e temos que resolvê-lo, temos que melhorar”. Todos nós, mulheres e homens, temos que melhorar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s