cinema/famosas/mulheres inspiradoras/televisão

Os 7 momentos mais feministas do Globo de Ouro 2015

Sim, Hollywood é uma indústria dominada por homens, onde as mulheres ainda têm que lutar para conquistar seu espaço, e a temporada de premiações deste ano só prova isso: nenhum dos longas cotados para os prêmios de melhor filme são protagonizados por mulheres e apenas Ava DuVernay entrou na corrida ao prêmio de direção com “Selma”.

Ainda assim, é sempre um alívio ver Tina Fey e Amy Poehler de volta à apresentação do Globo de Ouro. Como sempre, as duas estavam afiadas, e renderam os momentos mais feministas da premiação –com gosto de vingancinha contra o chauvinismo da indústria. Relembre os sete momentos mais feministas do prêmio:

7) Amy Adams foi fofíssima ao agradecer suas colegas mulheres durante o discurso de aceitação do prêmio de melhor atriz de comédia ou musical: “É tão maravilhoso que as mulheres hoje tenham uma você tão forte. Eu tenho uma filha de quatro anos e sou muito grata por ver todas essas mulheres nesse salão. Vocês falam tão fortemente com ela. Ela assiste a tudo e vê tudo e sou muito, muito grata com todas as mulheres nesse salão que têm uma voz tão amável e bonita”.

6) As atrizes Jane Fonda e Lily Tomlin, que estrelam juntas a comédia “Grace and Frankie”, do Netflix, tiraram onda com os privilégios que os homens têm no humor: “Aqui estamos, em 2015, prestes a anunciar o melhor ator de comédia ou musical. Sabe, é legal que os homens estão finalmente tendo o reconhecimento que merecem por ser bons em comédia!”, disse Fonda. “Eu sei, eu concordo, finalmente podemos abandonar aquele estereótipo negativo de que homens simplesmente não são engraçados”, completou Tomlin.

5) O machismo da indústria não teve folga em nenhum momento. Ao apresentar Patricia Arquette, indicada ao prêmio de melhor atriz coadjuvante por “Boyhood”, filmado durante 12 anos, as apresentadoras fizeram piada sobre a dificuldade das mulheres mais velhas conseguirem trabalhos em Hollywood: “Ela provou que ainda há grandes papéis para as mulheres com mais de 40 anos, contanto que elas sejam contratadas antes dos 40”.

4) Patricia também teve seu momento feminista ao receber o Globo de Ouro de melhor atriz coadjuvante, relacionando sua experiência como mãe que trabalha com a da mãe solteira que interpreta em “Boyhood” enquanto agradecia o diretor Richard Linklater: “Você colocou nas minhas mãos o papel de Olivia, uma subestimada mãe solteira. Obrigada por jogar luz nessa mulher e em milhões de mulheres como ela”. E ela ainda deu uma surtadinha por ter recebido um abraço de Meryl Streep: “Meryl, obrigada por me abraçar. Espero que um pouco do seu DNA tenha se transferido para mim”.

3) “Transparent” rompeu barreiras e venceu como melhor série de comédia ou musical e melhor ator de série de comédia ou musical (Jeffrey Tambor) ao retratar uma mulher trans que decide se assumir para sua família. Jill Soloway, produtora do programa, fez um discurso tocante: “Quero agradecer a comunidade trans. Eles são nossa família, tornam isso possível. Esse prêmio é dedicado á memória De Leelah Alcorn e muitas pessoas trans que morrem muito jovem. E é dedicado a você, minha ‘transparent’, minha ‘mapa’. Você está assistindo em casa e apenas quero agradecê-la por se assumir”.

2) Logo no monólogo de abertura, Amy e Tina satirizaram os absurdos comentários machistas que ouvimos à exaustão sobre o casal George Clooney e Amal Alamuddin: “Amal é uma advogada de direitos humanos que trabalhou no caso Enron, foi conselheira de Kofi Annan sobre a Síria e foi uma das três pessoas escolhidas para um painel da ONU que investigou violações de guerra na Faixa de Gaza. então, esta noite, o marido dela vai receber um prêmio por sua carreira”, apontou Tina.

1) Tina e Amy foram muito mais longe e deixaram algumas pessoas chocadas ao fazerem piada sobre o caso das acusações de estupro contra o comediante Bill Cosby, acusado por várias mulheres de drogá-las para então abusar delas. Acontece que aqui o humor foi usado para ridicularizar o lado certo: o agressor, não as vítimas. “Em ‘Caminhos da Floresta’, a Cinderela foge do seu príncipe, Rapunzel é jogada de uma torre por seu príncipe e a Bela Adormecida apenas achou que ia tomar um café com Bill Cosby”. As caras de desconforto na plateia não foram poucas (vejam a Jessica Chastain abaixo), mas as apresentadoras continuaram a piada com imitações de Cosby.

Anúncios

Um pensamento sobre “Os 7 momentos mais feministas do Globo de Ouro 2015

  1. Pingback: Oscar 2015 e Seus Agradecimentos por Igualdade. | EXTRAORDINARIANDO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s